30

Jan

13

Eficiência energética no fogão a lenha

p.s. Muitos leitores têm perguntado como podem adquirir o trocador de calor. Ele está na fase de testes de protótipos e ainda não entrou em produção comercial, como explica seu inventor, o sr. José Alcino Alano. Caso desejem entrar em contato com o sr. Alano para obter informações adicionais, o e-mail dele é josealcinoalano [arroba] ibest [ponto] com [ponto] br

Equipamento criado por inventor catarinense aquece chuveiro em regiões serranas usando o calor que seria desperdiçado na chaminé. O processo é mais eficiente que a tradicional serpentina, pois não retira calor da câmara de combustão. Próximo passo será “fogão-foguete” que reduz uso de lenha em 40%.

Vera Claudiano, líder quilombola em Rincão do Tigre, São Joaquim (SC)

Vera Claudiano, líder quilombola em Rincão do Tigre, São Joaquim (SC)

Dauro Veras, para o Valor, de Florianópolis

Um sistema inovador de aquecimento de água desenvolvido em Santa Catarina aumenta a eficiência energética dos fogões a lenha, presentes na maioria das residências das regiões serranas, onde o inverno é rigoroso. Barato, de fácil instalação e ambientalmente sustentável, o recuperador de calor está sendo testado em um projeto-piloto com 200 famílias de áreas rurais em 34 municípios, numa parceria entre Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Secretaria de Agricultura do Estado e Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). Os resultados preliminares superam as expectativas, com aumento do conforto, alívio no orçamento doméstico e potencial para reduzir a demanda de energia nos horários de pico. Criado pelo eletricista aposentado José Alcino Alano, o equipamento aproveita o calor que seria desperdiçado pela chaminé, sem aumentar o consumo de lenha.

José Alcino Alano, eletricista aposentado e inventor

José Alcino Alano, eletricista aposentado e inventor

“Tomar banho e lavar louça, pra nós, era um tormento”, conta Vera Lúcia Damas Claudiano, líder na comunidade quilombola de Rincão do Tigre, no município de São Joaquim – a 230 km da capital -, onde as temperaturas negativas no inverno fazem parte do cotidiano. A família de Vera foi uma das selecionadas para o teste, por atender ao critério de baixa renda e pela influência dela como multiplicadora para os vizinhos. “Antes, tínhamos que deixar a torneira aberta de noite para a água não congelar no cano”, conta a agricultora, enquanto acende o fogão para preparar o mate. “Agora temos água quente à vontade, dispensamos o chuveiro elétrico e a conta de luz caiu quase pela metade”.

A Celesc estima que a instalação do recuperador de calor nas 198 mil residências onde se usa fogão a lenha em Santa Catarina resultaria em uma economia anual de 193,6 mil MWh de eletricidade. Suficiente para abastecer uma cidade do tamanho de Florianópolis (421 mil habitantes) por três anos, ou toda a área de concessão da companhia, com 6,2 milhões de habitantes, por dois meses. O cálculo, feito segundo o Manual de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), tomou como premissas a redução de 100% no uso de um chuveiro elétrico de 5.400W de potência, com um tempo médio de oito minutos de banho por pessoa. Não foi considerada a redução no uso de torneira elétrica. Se incluídas as residências rurais com fogão a lenha em regiões serranas do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, a economia total seria ainda mais expressiva.

A instalação do equipamento se dá no âmbito do projeto Banho de Energia, uma das ações de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) da companhia catarinense de eletricidade. “A Celesc não faz filantropia”, esclarece a assessora de RSE, Viviani Bleyer Remor. “Estamos levando conforto e qualidade de vida para os agricultores; ao mesmo tempo, consolidamos a marca da empresa junto a essa população e reduzimos a inadimplência”. Outra vantagem é a redução do consumo no horário de ponta – das 17h30 às 20h30 nos dias úteis, quando o sistema nacional de geração, transmissão e distribuição é sobrecarregado pelo aumento no número de equipamentos ligados à rede elétrica. No segundo semestre de 2013, haverá uma avaliação dos resultados nas 200 unidades instaladas e a empresa pretende ampliar o projeto.

José Alcino Alano, 61 anos, não se considera um inventor, mas o fato é que já saíram de sua prancheta diversas tecnologias sociais, como um leito hospitalar multifuncional de baixo custo para pessoas com paraplegia e tetraplegia, entre outras. Acompanhado da mulher, dona Lizete, ele passa parte do tempo viajando por Santa Catarina para supervisionar a instalação do aquecedor, cujo pedido de patente foi depositado em 2010 junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Desde 2006 o aposentado é parceiro da Celesc na difusão de um aquecedor solar feito com garrafas PET e caixas de leite.

Fogão a lenha, indispensável no inverno serrano

Fogão a lenha, indispensável no inverno serrano

Esse projeto de RSE – Energia do Futuro – levou à criação de uma cooperativa de trabalho no Morro da Queimada, comunidade de baixa renda na capital catarinense, e está sendo replicado na Costa do Marfim. Alano atua como voluntário. Ele explica que o grande diferencial do seu recuperador de calor em comparação com a tradicional serpentina de água é não retirar calor da câmara de combustão do fogão, e sim da chaminé, onde seria desperdiçado: “Assim o consumo de lenha permanece o mesmo”.

A pedido do Valor, o projeto foi avaliado pelo engenheiro Edson Bazzo, do Laboratório de Combustão e Energia de Sistemas Térmicos (LabCET), vinculado ao Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Os direcionadores de gases, de fato, representam uma inovação com perspectiva de patente”, afirma. Para o especialista, o maior mérito do trabalho está no resgate de uma tecnologia consolidada de domínio público, que funciona pelo princípio de termossifão (veja box), para reaplicação em propriedades rurais e nas cidades onde ainda são utilizados fogões a lenha: “A medida é evidentemente vantajosa, pois substitui total ou parcialmente a eletricidade consumida em chuveiros, com baixo ou nenhum impacto ambiental”, diz. “Indiretamente, está-se economizando combustíveis fósseis na geração de eletricidade. O único impacto ambiental estaria associado à fabricação, transporte e instalação do sistema, o que é insignificante a meu ver. É uma bela iniciativa”. Bazzo lembra que o dióxido de carbono (CO2) gerado pela queima da lenha é neutro, pois se supõe que ele vai ser absorvido pelo crescimento de novas árvores.

Detalhe. Fonte: pedido de patente ao INPI

Um elemento importante para a difusão da nova tecnologia tem sido a parceria com a Epagri, empresa pública com mais de 50 anos de fomento à agricultura familiar, modelo de 90% das propriedades agrícolas em Santa Catarina. “Temos contato próximo com as comissões de desenvolvimento municipal, que nos ajudam a identificar as famílias para o projeto-piloto”, diz o gerente estadual de Extensão Rural e Pesqueira, José Cezar Pereira. Oitenta por cento do custo total do equipamento, de cerca de R$ 1,8 mil, são subsidiados pela Celesc. Os agricultores pagam somente R$ 380, em cinco parcelas anuais financiadas pelo Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR). Graças ao subsídio e à facilidade de crédito, o dispositivo está sendo adotado por famílias como a de Orildo Giroto, oriundo do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), que vive no Assentamento Primeiro de Maio, em Curitibanos, a 300 km da capital. “Agora fica mais rápido pra fazer a polenta”, diz dona Luci, pegando água aquecida da torneira.

O recuperador de calor, com vida útil estimada em 20 anos, já teve cinco protótipos construídos e continua sendo aperfeiçoado. Alano não para de elaborar novas ideias: “Estou desenvolvendo um novo modelo de fogão a lenha baseado numa tecnologia existente há vários anos, o ‘fogão foguete’, que, pela queima perfeita dos gases, reduz em 40% o consumo de lenha e produz pouca fuligem, diminuindo os impactos ambientais”. Ele atribui a motivação para criar à sua origem humilde, na qual fazia parte da rotina a busca de soluções para a sobrevivência a partir de conhecimentos em diversas áreas. “Outra motivação é ter contato com realidades que clamam por ajuda imediata e saber que os meus problemas são infinitamente menores que os do meu próximo”.

Como funciona

O sistema. Fonte: pedido de patente ao INPI

O sistema. Fonte: pedido de patente ao INPI

O recuperador de calor funciona por convecção térmica (termossifão), processo de transmissão de calor em que a energia térmica se propaga através do transporte de matéria, por causa da diferença de densidade e da ação da gravidade. Quando a água fria é aquecida em contato com a chaminé, fica menos densa, isto é, ocupa o mesmo espaço com peso inferior. Assim, sobe até o boiler, um reservatório que conserva a água quente até sua utilização.

O calor na chaminé dificilmente ultrapassa os 200°C, contra 500°C em média atingidos na câmara de combustão do fogão a lenha. Embora a rapidez e o volume da água aquecida sejam inferiores ao sistema tradicional por serpentina, são suficientes para atender as necessidades domésticas sem o uso de tubulação especial, o que barateia o sistema. Como não há serpentina com água circulando dentro da câmara, o consumo de lenha permanece o mesmo.

Uma versão condensada desta reportagem foi publicada originalmente no Valor Econômico, em 23/01/2013, com o título Fogão a lenha aquece água do chuveiro

Bookmark and Share


47 Responses:

  1. Em 17/09/15, 21:48, Paulo Cesar disse:

    Queria obter mais informações a respeito desse sistema e se ja esta no mercado/venda, e como poderia obter esse equipamento. Desde ja agradeço !

  2. Em 30/06/15, 20:26, sidney dias martins disse:

    eu gostaria de saber quanto custa, para eu colocar no meu fogao eu ja o tenho, eu so preciso o equipamento,p aquecer por favor mande o orcamento,muito grato

  3. Em 13/06/15, 00:21, José Alcino Alano disse:

    Boa noite,

    Gratos pelo interesse de tantos nessa modesta alternativa de aquecimento, e nos perdoe pela demora no retorno com a explicação do porque o mesmo ainda não está sendo comercializado. Um breve histórico do projeto os fará compreender os nossos motivos. Não apenas pela nossa falta de estrutura na instalação do sistema, mas também pela falta de assistência ao adquirente em caso de algum problema.
    Observem que foi graças ao apoio e estrutura da Celesc e Epagri, em todo o Estado, somado ao envolvimento de muitas pessoas de diversos seguimentos, que 200 famílias com baixa renda foram beneficiadas com esse projeto em algumas regiões frias de Santa Catarina. O Globo Rural, programa que foi ao ar no dia 25/08/2013, passa uma ideia do funcionamento e diferencial desse sistema, em: http://novoportal.celesc.com.br/portal/index.php/noticias/1137-banho-de-energia-no-globo-rural , onde comprova que sem a estrutura e o apoio das Empresas acima citadas, essas famílias jamais teriam sido beneficiadas com o projeto.
    Como a Celesc pretende inserir esse projeto no Programa de Eficiência Energética da Empresa, mas depende de aprovação da ANEEL, é obrigatório que o boiler seja certificado pelo INMETRO e equipes sejam capacitadas para instalação do mesmo.
    Nos 200 que foram instalados, com a intenção de reduzir custos e beneficiar mais famílias, em comum acordo, optamos por um tipo de boiler com limites de temperatura e
    isolamento térmico com menor eficiência, o que não nos permitiu aproveitar todo o potencial do calor desperdiçado pela chaminé. Esse tempo de espera e o boiler certificado, nos possibilitaram desenvolver um outro recuperador de calor bem mais eficiente. Tanto que se instalado sobre um fogão foguete, (rocket stove), a água retorna quente ao boiler numa vazão média de 1,5 litro/minuto e em temperaturas na casa dos 80°C, temperatura essa o suficiente para higienizar os equipamentos de ordenha. A revista Agropecuária Catarinense, março de 2015, trás uma matéria com o título: “Um foguete na sala de ordenha”, na página 17, com os resultados alcançados com os 02 protótipos instalados no norte do Estado, na região de Canoinhas, neste endereço: http://docweb.epagri.sc.gov.br/website_epagri/RAC93_Mar-2015.pdf .
    Sobre a disponibilidade e preços dos equipamentos, dependemos da implantação de uma quantidade maior por parte da Celesc, e de outras parcerias interessadas, para que possamos disponibilizá-lo comercialmente a um preço justo para ambos, e com a estrutura necessária de instalação e assistência técnica no maior numero de regiões.
    O projeto é simples, mas requer um conhecimento básico sobre convecção térmica (termossifão), e outros cuidados na instalação. Afinal o nosso propósito é oferecer conforto e economia, não dor de cabeça. Mas assim que tivermos qualquer novidade, prometemos veicular aqui neste e em outros endereços, o andamento e disponibilidade de
    comercialização do mesmo.

    Desculpem por nos estender, é que achamos interessante comentar sobre as mudanças no projeto e suas perspectivas de utilização.

    Atenciosamente,
    José Alcino Alano e família
    solucoessustentaveis@gmail.com
    048)3622.2116

  4. Em 06/06/15, 10:18, wagner Ricardo disse:

    Boa tarde, notei que em vários comentários, as pessoas perguntam como adquirir o produto e me parece que vocês não tem interesse em vende-lo, eu gostaria de saber se tem interesse em vende-lo eu gostaria de comprar, por favor tente facilitar as informações deixando um telefone para contato ou endereço de alguma loja que comercialize ou ainda simplesmente publique uma mensagem dizendo este produto não esta a venda. Muito obrigado.

  5. Em 30/05/15, 16:15, ótto disse:

    ONDE OU COMO ADQUIRIR???

  6. Em 28/05/15, 19:40, Guilherme disse:

    Gostaria de adquirir um. Estou em fase de projeto para construir uma casa aqui na região serrana do Espirito Santo.

  7. Em 22/03/15, 21:26, celio marcos stumpf disse:

    muito bom, excelente como faço para adquirir um equipamento.

    att. celio

  8. Em 01/08/14, 20:05, alexandre disse:

    Muito interessante esse método como faço para adquirir um desses?

  9. Em 02/07/14, 20:45, Rene disse:

    Saudações meu caro: Tche que legal! parabéns pelo site e principalmente por mostrar tais alternativas!
    Trabalho com botânica e sei o quão da importância de se usar um modelo como esse.
    Grande Abraço xiru

  10. Em 15/06/14, 20:49, Alexandre Jungbluth disse:

    Como adquirir este chaminé?

  11. Em 23/04/14, 08:31, Mario cardoso disse:

    Gostaria de saber como adquirir o produto trocador de calor, pois uso o fogão a lenha regularmente no inverno e além do conforto, faria economia de energia o que é bom para o planeta.

  12. Em 22/04/14, 11:48, claudio vieira disse:

    Estou instalando um fogao a lenha com serpentina, a agua quente vai direto para torneira sem o reservatorio de agua quente, vai da serto tenho de colocar cano para suspiro ou nao.

  13. Em 03/04/14, 17:52, joao pedro disse:

    como faço para adquirir um aquecedor desses da chamine

  14. Em 02/04/14, 09:08, MARCIO F. BARCI disse:

    Muito criativo, mas absolutamente nada de novo, ao contrario. Tal como o Fabio nós usamos este sistema ha muito para diversas outras aplicações.
    Parabenizo Alano pelo trabalho – mérito indiscutível por estar fazendo o que poucos fazem: energia sustentável.

    Usamos essa idéia do trocador (em linha) tanto para fogões/caldeiras como em motores diesel – para obter frio através do sistema amonio (NH40H/NH3 + H20). Essa camara de troca termica é usada como regenerador.
    Obtivemos -18ºC em camara fria usando lenha…

  15. Em 27/03/14, 13:38, claudio damin disse:

    sr elano fiquei muito impresiomado com seu imvento de aquesimento pelo chamine do fogao moro em caxias do sul e tenho uma chacara em saop francisco quero comprar um como posso comprar 054 99090310

  16. Em 01/09/13, 08:40, Fábio disse:

    Já que esse não usa bomba para circular seria interessante um isolamento termico na parede do trocador.

  17. Em 01/09/13, 08:29, Fábio disse:

    É um trocador de calor ar/água, a eficiência desse sistema pode aumentar muito com uma pequena bomba acionado até atingir a temperatura alvo no reservatório, mesmo se for de 5W, notem que há muita perda no corpo do trocador. Dá para mais que dobrar o volume de água aquecida com mini bomba empurrando agua da caixa para o trocador.

  18. Em 01/09/13, 08:17, Fábio disse:

    Já usamos isso a mais de 10 anos na em escapamentos de geradores diesel e no calor residual de compressores a vácuo para aquecer água… esse só é mais simples por não ter vários canos dentro do tubo, no entanto com menoa area de troca em relação a um trocador tubo convencional. Poderia vir a ser comercial a idea do uso fogão, chegamos a montar um parecido a uns 8 anos atrás mas ficava carro para comercializar. Recuperadores de calor não são novidade, a novidade é oportunizar o uso.

  19. Em 29/08/13, 20:31, osvaldo dias pinto disse:

    -gostaria de saber telefone para que possa adquirir uma chaminé para meu fogão a lenha… obrigado.

  20. Em 29/08/13, 11:30, André Lima disse:

    Bom dia gostei muito dessa idéia,gostaria de saber algum contato com o Sr Alano pois gostaria de instalar esse sistema em minha casa.ótima idéia.

  21. Em 28/08/13, 10:18, Simão H Rubik disse:

    Bom dia como podemos adquirir o aquecedor do Sr Alano pós isso vai ser entregue a famílias carentes aqui no rio grande do sul e santa catarina pos faz muito frio nesta região favor entrar em contato por email srubik@bnbolsa.com.br
    Atenciosamente
    Simão

  22. Em 27/08/13, 22:41, maria eduarda heldt disse:

    Gostamos muito desse projeto,e o que temos a dizer:) O mundo esta carente de pessoas com boas intenções,por isso nossos sinceros parabéns ao idealizador do projeto em questão.
    Nós gostaríamos que a vossa senhoria enviasse-nos,o projeto em detalhes com desenho e assessórios por ordem de montagem.(tudo o que mais acharem necessário).
    Muito obrigado e que deus lhe pague,abraço.

  23. Em 25/08/13, 20:38, Elvisom Monteiro de Oliveira disse:

    Gostaria de saber qual o custo de todo equipamento?

  24. Em 25/08/13, 11:30, Jaime Klock disse:

    Bom dia Sr. Elano.
    Gostei muito do chaminé como faço para adquirir um desse ja tenho fogão a lenha.

  25. Em 25/08/13, 11:16, Lúcia Maria Delavy disse:

    Olá!

    Em primeiro lugar parabéns ao inventror. Achei fantástico!!!

    Em segundo ligar, gostaria de saber como adquirir o produto trocador de calor, pois uso o fogão a lenha regularmente no inverno e além do conforto, faria economia de energia o que é bom para o planeta.

    Grata,

    Lúcia Maria

  26. Em 25/08/13, 09:27, Mauricio disse:

    Olá Dauro!
    Parabéns pela publicação deste material,sou de Curitiba,região onde o inverno é um pouco rigoroso e sofremos com a água gelada,já fiz o sistema de aquecimento solar que usa garrafas pet,melhorou bastante, e por utilizarmos o fogão a lenha tenho interesse em adquirir este equipamento ou desenvolve-lo,além do aproveitamento do calor,iriamos economizar energia elétrica ajudando ainda mais na redução dos impactos ambientais das usinas geradoras de energia.
    Se possível gostaria de receber o contato do Sr. Alano.
    Desde já agradeço.

  27. Em 25/08/13, 08:36, André Luiz Figueiredo disse:

    Bom dia !!

    Gostei do sistema do fogão e gostaria de saber onde adquiri-lo, sou de Jundiaí-SP e onde moro que é afastado da cidade a agua é bem gelada. Abraços e aguardo um contato.

  28. Em 25/08/13, 08:34, Marciel Döring disse:

    Olá!
    Como se entra em contato com o Inventor/Fabricante?
    Aguardo,
    Marciel

  29. Em 18/08/13, 22:06, anderson disse:

    otimo produto gostaria de ter em casa

  30. Em 13/08/13, 12:10, Suzana da Silva disse:

    gostaria de entrar em contato com o Sr Alano, estou fazendo um fogão a lenha e não sei como conseguir adaptar esse projeto. Grata pela atenção.

  31. Em 10/08/13, 11:38, Angelo P. Passarella disse:

    Parabéns pelo projeto. Temos um sitio em TAPIRAI-SP e gostaria de poder instalar este sistema no fogão a lenha. Como podemos fazer para entrar em contato?

  32. Em 29/07/13, 11:54, Vinicius disse:

    Olá Dauro,

    assim como os outros comentários acima também estou interessado em instalar o aquecedor em minha casa. Existe uma manual? O Senhor José Alcino fornece a assistência para a instalação? Poderia passar algum contato (telefone ou email)?
    Obrigado e parabéns pela matéria
    abraço

  33. Em 24/07/13, 11:32, Marcelino Teodoro de Assiz disse:

    Olá! gostaria de contato com o Sr.Alano, pois estou fazendo uma área de gourmet no quintal de minha casa e gostaria de aproveitar a energia do fogão à lenha para aquecer água para chuveiros, pias e lavatórios. Pode ser?

  34. Em 16/07/13, 21:07, osvaldino valadao disse:

    Olá, Dauro!
    Parabéns pelo site e por divulgar a iniciaiva do sr. Alano!
    Gostaria de ter acesso aos contatos dele, pois o sistema me interessou muito.
    Estou reformando uma casa Em Atibaia e pretendo instalar um sstema de aquecimento de água sustentável. Pretendia optar pelo sistema de serpentina, mas este me pareceu mais interessante.
    Abraço

  35. Em 09/07/13, 18:44, Denise disse:

    Olá gostaria de ter o contato do Sr Alano.
    Grata,
    Denise

  36. Em 01/07/13, 19:25, Angelo Rigon disse:

    Olá, Dauro!
    Parabéns pelo site e por divulgar a iniciaiva do sr. Alano!
    Gostaria de ter acesso aos contatos dele, pois o sistema me interessou muito.
    Estou reformando uma casa Em Atibaia e pretendo instalar um sstema de aquecimento de água sustentável. Pretendia optar pelo sistema de serpentina, mas este me pareceu mais interessante.
    Abraço

  37. Em 19/06/13, 22:14, Soraya disse:

    Gostaria de saber se a Epagri de Caçador-SC também tem este projeto?

  38. Em 06/06/13, 20:07, Paulo Sérgio disse:

    Boa Noite!

    Moro em Itupeva sp mas sou de santa catarina e acabei de comprar um fogão deste
    para minha casa aqui onde moro,minha esposa viu este sistema e gostariamos de adquirir este maravilhoso sistema.
    Mesmo sendo de santa catarina já estou desacostumado do frio, aqui também faz muito frio no inverno por esta razão que compramos este fogão.

    Obrigado

  39. Em 01/05/13, 21:17, Fernando disse:

    Estou fazendo meu tcc e vou criar um dispositivo muito parecido.. Será que este sistema tem algum calculo de rendimento e métodos para seu funcionamento? Sera que tem alguma referencia que possa me indicar?
    obrigado

  40. Em 30/04/13, 22:08, soares disse:

    olá; muito bom a matéria, gostaria de contato com sr. alano; é possivel?

  41. Em 02/04/13, 14:04, melania schneider disse:

    ola, vou morar na serra que e muito frio, e gosto muito de coisas que nao atingem o meio ambiente, mas tem que ser com baixos custos,pois nao disponho de muito dinheiro, entao gostaria de instalar agua quente usando fogao a lenha, como poderia encontrar esse sistema? obrigada

  42. Em 13/02/13, 09:34, Dauro Veras disse:

    Alexandra, nesta primeira etapa de desenvolvimento, o sistema está sendo testado em 200 residências de baixa renda da serra catarinense. De qualquer forma, lhe enviei por e-mail o contato do sr. Alano.

  43. Em 11/02/13, 08:19, Alexandra disse:

    Parabens estou encantada e gostaria de saber como posso fasso para ter esse sistema aqui en casa,tenho tres pias e meu gasto com chuveio é muito alto sem falar que no inverno é uma briga par assertar a temperatura que é mais fria do que quente.gostaria de mais informações abraço.

  44. Em 04/02/13, 11:33, Dauro Veras disse:

    Caro Álvaro, Seu Alano explica na reportagem (primeiro e sexto parágrafo) que o grande diferencial do seu recuperador de calor em comparação com a tradicional serpentina é não retirar calor da câmara de combustão do fogão, e sim da chaminé, onde seria desperdiçado: “Assim o consumo de lenha permanece o mesmo”. Como esta tem sido uma dúvida frequente dos leitores, reforcei o esclarecimento na segunda frase em destaque abaixo do título. Grato pelo comentário.

  45. Em 04/02/13, 11:32, Dauro Veras disse:

    Caro Álvaro, Seu Alano explica na reportagem (primeiro e sexto parágrafo)que o grande diferencial do seu recuperador de calor em comparação com a tradicional serpentina de água é não retirar calor da câmara de combustão do fogão, e sim da chaminé, onde seria desperdiçado: “Assim o consumo de lenha permanece o mesmo”. Como esta tem sido uma dúvida frequente dos leitores, reforcei o esclarecimento na segunda frase em destaque abaixo do título. Grato pelo comentário.

  46. Em 04/02/13, 10:34, Alvaro disse:

    Este é um processo novo? Não é aquele utilizado há anos em casas com fogão a lenha?


Comentar: