08

Oct

11

Sessão da Tarde

Meu novo ídolo, Pedrosa da Silva, colunista da Fired – uma publicação da Lhamas Imperiais Editora.

-

Um belo dia, o chefe lhe diz: “Precisamos conversar.” É o preâmbulo para uma nova e excitante fase da sua vida. Você esvazia as gavetas e escreve aquele fatídico e-mail aos colegas: “Não é um adeus, é um até logo”, etc. Em casa, explora as reentrâncias do sofá macio, folheia uma HQ e observa o gato. O felino ainda vai lhe dar muitas aulas sobre como conservar energia evitando movimentos desnecessários. Agora você está apto a praticar o nadismo, a doce arte de não fazer nada. E se transforma em potencial leitor da Fired – a revista do desempregado moderno.

Pesquisa do Sensacionalista (“um jornal isento de verdade”) revela: 75% das pessoas que vão “partir em busca de novos desafios” passarão seis meses vendo Sessão da Tarde. Isso reforça a convicção da equipe Fired de que existe um importante segmento de público a atender com informação e serviços. A revista é a sua nova aliada no enfrentamento dos mitos criados pela cultura da aceleração. Sem medo e sem culpa.

Pense nas vantagens de seu novo status. Adeus tensão de alternar rapidamente a tela do computador entre o jogo de paciência e uma planilha excel. Chega do balé dissimulado que é transportar documentos aparentando pressa, para em seguida passar meia hora na sala do cafezinho. O candidato a nadista é um ator em permanente ação de resistência – ou melhor, resistência à ação. Mas essa vida dupla cobra seu preço em úlceras ou coisa pior.

Fired investe na autoestima do ocioso criativo que sai do armário. Esqueça os rótulos de loser ou mandrião, pois essa caterva não sabe o que fala. Experimente a sensação inebriante de se autodefinir: “Sou artista conceitual”. Ou freelancer, filósofo, flâneur, como preferir. Existe um termo em alta no mercado, empreendedor, mas alguém sempre termina lhe pedindo pra descrever o projeto que desenvolve, e isso dá trabalho. Há ainda a mítica figura do consultor, um oráculo em estado de repouso, que só se mexe quando é bem pago.

Construir sua persona pós-CLT demanda rigorosos exercícios iniciáticos, tais como:

- Ir ao cinema no meio da tarde. É um passo fundamental na gênese do Novo Desempregado, o Übermensch liberto da ditadura do relógio-ponto. Dono de seu tempo, compra o ingresso sem pegar fila, escolhe a melhor poltrona e goza o momento com a consciência tranquila, inspirado no filósofo bigodudo: os remorsos são obscenos.

- Caminhar até a geladeira e pegar uma cerveja. Quando esta prática esotérica ocorre antes do meio-dia, é duplamente salutar, pois se associa ao benefício de acordar cedo (mas não cedo demais) – e assim aproveitar melhor o tempo inútil. Há quem garanta que o som da latinha sendo aberta libera endorfinas.

Criamos a Sessão da Tarde com dois objetivos: acabar de vez com as nossas dúvidas sobre a diferença entre seção e sessão; e levar dicas de joie-de-vivre ao nosso seleto público sem vínculo empregatício. O leque é amplo. De resenhas dos sucessos de Charles Bronson a indicações de lugarzinhos charmosos onde tomar um expresso sem pressa. Quem sabe, trocando olhares com uma moça bonita, enquanto vocês conversam sobre o ser e o nada. Bom proveito.

Pedrosa da Silva tem doutorado em estudos hedonísticos no Barbecue Institute of High Studies, com PhD em Morro de São Paulo. Consultor holístico e sentimental, é também especialista em redes sociais – comprou uma de casal no Ceará e garante que cabem três com folga. Os honorários recebidos por este artigo – meia mariola e duas balas chita – foram doados para o Centro de Apoio aos Dependentes do Expediente 9 às 6.

Bookmark and Share


One Response:

  1. Em 18/10/11, 02:06, Fernando Evangelista disse:

    Caro Dauro Veras,
    Este Pedrosa da Silva eh um gênio!Nunca tinha ouvido falar dele. Texto bom demais.Vou procurar mais coisas na net. Obrigado pela dica.


Comentar: