Posts de 2010

25

Oct

10

Pausa

Em São Paulo – e depois, Rio – pra uns dias de trabalho. Pequena pausa por aqui e atualizações no twitter a qualquer momento.

Bookmark and Share


25

Oct

10

Biodiversidade

O Valor Econômico publicou uma revista especial sobre biodiversidade, em edição bilíngue para ser distribuída na Conferência de Nagoya (18 a 29 de outubro). Participei com duas matérias, sobre Mata Atlântica e Pampa. Gostei bastante de fazê-las, pois elas apontam bons exemplos de como o mundo corporativo pode ajudar na preservação desses biomas em parceria com ongs ambientalistas. Clique no link para folhear a edição digital da revista.

Bookmark and Share


21

Oct

10

The big voyage

Família Chambe-Eng em NY

Família Chambe-Eng em NY. Outubro de 2010.

Tou há dias pra escrever sobre isso, mas a a fase é de correria, como você deve ter notado pelo espaçamento entre os posts. Há mais ou menos um mês, nossos amigos Eirik e Hélène Chambe-Eng, acompanhados dos filhos Adrian (12 anos), Viktor (10) e Iseline (7), trocaram o aconchego de sua casa em Oslo por uma aventura que é o sonho de muita gente: dar a volta ao mundo. Depois de meses de planejamento, definição do roteiro e providências práticas, eles começaram em grande estilo, voando pra San Francisco. Visitaram o Grand Canyon e outros lugares / amigos, foram pra Costa Leste e estão agora em New York. Daqui a pouco tempo, vão estar na Amazônia peruana. Em The big voyage, meu amigo viking está narrando com estilo e humor os deliciosos desafios de conhecer o planeta com três crianças durante sete meses. O nome do blog – que é bilíngue, em inglês e francês – se refere à família multicultural: Eirik e as crianças são noruegueses, Hélène é francesa.

Preikestolen

Fiorde Preikestolen. Eirik, Hélène e Laura. Stavanger, Noruega, 1997.

Apenas duas cidades brasileiras estão incluídas no roteiro: Foz do Iguaçu e… Floripa! Sim, a grande notícia é que os amigos vêm nos visitar no fim do ano. A última vez que nos encontramos foi na primavera de 1997, quando nos hospedamos na casa deles em Oslo. Viajamos juntos pela Noruega (entre os lugares incríveis, o fiorde Preikestolen, da foto) e depois nos reencontramos em Praga. Sintonia perfeita entre dois casais então sem filhos. Havíamos nos conhecido numa viagem à Patagônia, em 1996, quando demos umas mochiladas juntos. Agora eles vão pintar pra uma visitinha com a prole, antes de prosseguir viagem rumo à Argentina, Chile, Polinésia e Austrália. Vai ser um verão divertido. Acho que vamos ter um bom futebol de praia.

Bookmark and Share


20

Oct

10

Brunitezas: progressão escolar

Bruno, na pré-escola, tá doido pra entrar na escolinha de futebol de salão, mas ainda precisa ficar maiorzinho. Impaciente, ele tá com umas ideias sobre progressão escolar: – Pai, quero pular o primeiro ano.

Bookmark and Share


09

Oct

10

Do baú: o cavalinho de Santarém

Eu em pé, André agachado. Santarém, Pará, 1972, numa escala do navio Leopoldo Peres, descendo o Amazonas de Manaus a Belém.

Já escrevi aqui no blog sobre o cavalinho de Santarém. Mas nem me lembrava que havia uma foto dele. Foi legal resgatá-la bem na semana da criança. E bem no dia em que eu, de passagem por Brasília, reencontrei meu irmão André, que mora aqui há dois anos.

Bookmark and Share


07

Oct

10

Gaivota na praia do Pântano do Sul

Gaivota no Pântano do Sul

Gaivota na praia do Pântano do Sul, Floripa.

Bookmark and Share


06

Oct

10

A festa no céu

A festa no céu / The party in the sky. Texto de Antonio Rocha e ilustrações de Cedric Dawson

O amigo e grande mímico/contador de histórias Antonio Rocha, carioca que mora há duas décadas no Maine, EUA, acaba de estrear como escritor de livros infantis. Ele lançou a edição bilíngue A festa no céu/The party in the sky, adaptação de uma história popular que povoou minha imaginação na infância.

O livro é ilustrado por Cedrick Dawson, que mora na Flórida. Eles não se conhecem pessoalmente e fizeram todo o trabalho se comunicando a distância. “Foi um grande aprendizado”, me disse Antonio, que ficou com vontade de fazer outros.

Bookmark and Share


02

Oct

10

Costa Rica dá menção especial ao Porco

Recebi agora há pouco um e-mail do Chico Faganello com a notícia: nosso documentário Espírito de Porco ganhou menção especial no Critério Ambiental - Primeiro Festival Internacional de Cinema do Meio Ambiente de La Fortuna de San Carlos, Costa Rica. O evento foi realizado de 25 de setembro a 1 de outubro nessa pequena cidade a 10 km do vulcão Arenal, o mais ativo do país centro-americano.

A comissão julgadora, formada por Pedro Piñeiro Fuente, diretor do Festival de Cinema Ambiental de Zaragoza, Espanha; Marianella Protti, atriz e produtora artística costarriquenha; e Irina Katchan, coordenadora do Observatório Climático da Costa Rica, justifica assim a menção ao porco:

Por su original propuesta cinematográfica, en la que, de manera irónica, dibuja la delicada y estrecha semejanza entre el ser humano y otros animales.

La película, además, nos brinda un excelente mensaje sobre la elección personal; individualmente podemos contribuir a mejorar nuestro Planeta. El documental nos enseña que detrás de cada artículo de consumo existe una historia, y está en cada uno aceptar o rechazar lo que se nos ofrece.

O filme premiado foi Vienen por el oro, vienen por todo, produção argentino-espanhola de 2009 que trata dos impactos da mineração, dirigida por Pablo D’Alo Abba e Cristián Harbaruk. Outra menção especial foi concedida a A Road Not Taken (Uma estrada não tomada), produção suíça de 2010 dirigida e produzida por Christina Hemauer e Roman Keller. Por fim, o júri concedeu menção especial ao diretor do festival, Gustavo Solís-Moya, “pelo excelente material escolhido e pela iniciativa de realizar o mesmo, animando-nos a seguir adiante com iniciativas e ações concretas para proteger nosso planeta Terra”.

Nosso documentário coloca em debate o impacto socioambiental provocado pela suinocultura industrial no oeste de Santa Catarina. Com esta, são quatro as premiações em eventos cinematográficos. Em 2009 o filme recebeu prêmios no Festival de Cinema pelos Direitos dos Animais em Curitiba e no Festival Ambiental de Seia, Portugal. No último sábado, ganhou o de Melhor Contribuição Social no Festival de Cinema Rural de Piratuba (SC). Mais uma vez, compartilho a alegria com toda a equipe.

Ainda não viu Espírito de Porco, o filme mais sujo dos últimos tempos? Clique aqui pra solicitar o DVD.

Bookmark and Share


02

Oct

10

Viajando com Almir e Claudio

Um dos maiores prazeres do viajante é encontrar companhia agradável. O tempo passa mais rápido e o cansaço se dissolve no bom papo combinado à paisagem. Guardo impressão duradoura e boas histórias de momentos assim. Foi o que aconteceu no domingo passado, no final do Festival de Cinema Rural de Piratuba, no oeste de SC. A organização ofereceu uma camioneta pra levar os convidados ao aeroporto. Entrei no banco de trás e tive a grata surpresa de ver ao meu lado o músico Almir Sater. No banco da frente, ao lado do motorista (um galego tímido de quem infelizmente não guardei o nome), ia Claudio Savaget, produtor do programa Globo Ecologia.

Durante duas horas e meia, percorri com esses dois figuraços a estrada sinuosa entre Piratuba e Chapecó. Há tempo eu já era fã do mestre da viola, e fiquei mais ainda ao conhecer a dimensão humana do artista. Falamos de tudo um pouco: de cinema a filhos, de internet a berne de boi, de passarinhos a parcerias. Almir me recomendou um filme policial noir de Kurosawa que ele gostou muito, mas não lembrava o nome – creio que era Cão Danado, de 1949. Sugeri alguns do Woody Allen. Falamos de Pantanal, um ponto de virada na carreira dele e da dramaturgia de telenovelas brasileiras. Do fato de sua música não tocar em rádios e de ele se recusar a pagar “jabá”. Da indigência da música brasileira nos últimos tempos, assolada por cantores sertanejos de baixa qualidade. Almir contou que está preparando um disco com Renato Teixeira, parceiro de longa data, e não tem prazo pra terminar: quando tiverem meia hora de música e gostarem do resultado, fica pronto.

No banco da frente, Claudio contou que estava com saudade das filhas. O assunto pulou pra voos de avião e helicóptero – recordei do medo que senti quando visitei uma plataforma marítima da Petrobras em Itajaí. Claudio então recordou, em detalhes, uma história trágica: ele foi um dos sobreviventes do acidente de helicóptero com a equipe do Globo Ecologia no topo do Monte Roraima, em 1998, que resultou na morte do operador de áudio Ricardo Cardoso. O resgate teve momentos dramáticos, inclusive com acidente de outro helicóptero. No fim da história, ficou calado um bom tempo, emocionado. Aí mudamos de conversa e ele falou sobre suas andanças por Angola, Moçambique e Timor Leste. Almir falou dos rios em que gosta de pescar quando se entoca em sua propriedade no Mato Grosso do Sul. Contou uns causos engraçados de vaqueiros e de suas andanças fazendo shows pelo país.

De repente já estávamos em Chapecó. Atrasado, disparei pro guichê da companhia aérea e mal tivemos tempo de nos despedir. Combinei que, se perdesse o voo, iria procurá-los pra continuar a conversa. Mas o avião também estava atrasado e consegui embarcar. Cada um pro seu lado. Ficou a satisfação de ter entrado em sintonia com caras bons, de quem eu poderia ser amigo. E que gostaria de rever em outras oportunidades, embora a probabilidade seja remota. Quem sabe uma hora dessas a gente se encontra pra comer uma peixada em Floripa e continuar a prosa.

Bookmark and Share


01

Oct

10

Casca de árvore

Casca

Bookmark and Share