11

Jun

09

Devastação S/A

Quem se beneficia com a destruição da Amazônia?

A 15ª edição de Observatório Social Em Revista é resultado de nove meses de investigação jornalística que mostraram como funcionam redes de negócios implicadas em crimes ambientais e trabalhistas na Amazônia. As informações colhidas permitiram fechar os elos de uma corrente perversa, que começa no interior da floresta e termina na casa de consumidores em todos os continentes. Organizada em duas partes, a revista mostra as fraudes e os esquemas de desrespeito ao meio ambiente e aos trabalhadores dentro e fora do Brasil. Na primeira parte, é revelado um esquema milionário de exportação de madeira retirada ilegalmente da Floresta Amazônica, envolvendo as maiores empresas mundiais dos setores de pisos e móveis. A segunda parte mostra como funciona o comércio interno da devastação florestal, detalhando as irregularidades relacionadas aos mercados de madeira, soja e pecuária no Brasil.

Por André Campos, Carlos Juliano Barros, Dauro Veras, Leonardo Sakamoto, Marques Casara, Paola Bello e Sérgio Vignes.

Para fazer o download da versão completa da revista, clique aqui. [pdf, 1,67 MB]

Para fazer o download da revista em resolução mais alta, ideal para impressões destinadas a jornais murais e demais exposições públicas, clique aqui. [pdf, 4,84 MB]

Para baixar partes específicas, clique no link correspondente, no sumário a seguir:

Editorial

Quem se beneficia com a destruição da Amazônia

Devastação S/A

Entrevista: Valmir Ortega

Conexão São Paulo-Amazônia

Quem ganha com a devastação

São Paulo, consumidor voraz

Pecuária é setor problemático

Mais boi que gente

Soja avança sobre Amazônia Legal

Povos indígenas ameaçados

Financiamento: investimento de risco

Notas institucionais

Para solicitar a revista impressa, clique aqui.

Bookmark and Share


2 Responses:

  1. Em 12/06/09, 21:16, Paula Scheidt disse:

    Olá Dauro, Parabéns pela reportagem, você e toda a equipe que dedicou estes nove meses para fazê-la. É deste tipo de jornalismo que precisamos, capaz de mudar este ciclo irracional de destruição de nossos biomas. Vou fazer uma chamada para a revista no portal CarbonoBrasil!
    Abraços


Comentar: