Posts com a categoria ‘C&T’

01

Aug

10

Artigos sobre computação em nuvem

Recebi a twitdica do @exucaveiracover, que repassou do @palacios49, e compartilho: a Educause Quarterly traz uma série de artigos sobre cloud computing: o que é, para que serve, implicações para a educação etc. In English.

Bookmark and Share


16

Mar

10

Castells: “Não há excesso de informação”

Interessante esta entrevista de Manuel Castells aos leitores da BBC Mundo. Tenho trocado ideias com amigos sobre o que ele aborda neste trecho:

A Raúl Rodon, de Panamá, le gustaría saber si usted cree que la gran cantidad de información inútil disponible a través de internet nos llevará a un nuevo oscurantismo.
No hay exceso de información.
Si voy a una biblioteca que tiene 12 millones de volúmenes, tengo mejores posibilidades de encontrar lo que busco a que si tiene un millón de volúmenes. Lo que me hace falta es tener la capacidad de saber qué busco, cómo encontrarlo y saber qué hacer con ello.
Lo que pasa es que internet exige un desarrollo mucho mayor del nivel cultural y educativo de los usuarios.
Por tanto, la verdadera brecha en relación al uso de internet es la brecha más antigua de la humanidad: la cultura y la educación.
Aquéllos más educados en la era de internet aumentan su capacidad de acción sobre la sociedad y sobre sí mismos.
Aquéllos con poca educación se dedican a hacer estupideces con internet y pierden mucho más con respecto al conjunto de la sociedad.

Bookmark and Share


26

Feb

10

Segurança eletrônica

Publiquei hoje no Valor Econômico uma reportagem sobre empresas brasileiras de segurança eletrônica. O setor se prepara para aproveitar as oportunidades da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016. Em Santa Catarina, a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) criou uma Vertical de Segurança Eletrônica para integração de sistemas de diferentes companhias.

Bookmark and Share


02

Feb

10

Um upgrade na memória

Este não é um post pago (mas se alguém se interessar, envio o número da minha conta). Quando o produto é bom, tenho prazer em elogiar. Testei o Evernote pela primeira vez em fevereiro de 2009, depois de várias tentativas insatisfatórias com outros softwares organizadores. Logo virei fã, conquistado pela facilidade de uso e algumas funcionalidades matadoras. É a memória acessória mais legal que já encontrei. Em resumo, é uma maneira eficaz, versátil e gratuita de capturar, organizar e recuperar informação. O Evernote permite armazenar notas, fotos, recados manuscritos, textos e páginas da web, números de telefones, lembretes de voz e o que mais você possa imaginar que represente informação audiovisual e escrita. Esse material, arquivado “na nuvem”, pode ser sincronizado entre vários micros e no celular. A facilidade de indexação é um ponto forte: todas as notas podem ser organizadas em pastas por assunto e receber tags. Fica praticamente impossível não achar o que você guardou.

A cereja do bolo é o reconhecimento de caracteres em imagens. Semana passada, por exemplo, dei uma limpa nos post-its que atrolhavam minha mesa de trabalho. Primeiro fotografei um a um com meu celular. Em seguida os transferi pro micro, via cabo – podia também ter enviado direto pra “nuvem” por e-mail. Aí arrastei as imagens pro Evernote instalado no meu HD, e pronto. Fiz o teste: no campo de busca, digitei um dos nomes de contatos que eu tinha escrevido a mão num post-it. Localização instantânea da foto, com o telefone desejado! Outra coisa útil da ferramenta é a possibilidade de compartilhar pastas. Na versão gratuita, a que uso – com grande variedade de recursos, aliás – só é possível compartilhar pastas pra consulta. Na versão paga, os arquivos que você liberar podem ser também editados pelos seus contatos.

O webdesigner Andrew Maxwell, de Portland, Oregon, sugere em seu blog cem usos diferentes para o Evernote. Entre eles: tirar a foto da página do livro que você está lendo e fazer anotações, mantendo assim as páginas limpas; guardar recibos para se organizar quando chegar a hora de declarar imposto de renda; tirar fotos de esboços em guardanapos; salvar fotos das placas e do chassi do seu carro, fotografar e armazenar cartões de visita, clicar ou escanear mapas de viagem para consultar depois, guardar rótulos de vinhos que tomou etc. etc. Depois de um ano de desenvolvimento e testes, foi lançada no dia 21 de janeiro a versão 3.5 do Evernote para Windows, com uma série de melhoramentos bacanas em relação às versões anteriores. Acabo de instalar e é bem boa. O vídeo acima (em inglês) dá uma visão geral.

p.s.: Outra cerejinha do programa é a integração com o twitter.

Bookmark and Share


17

Jan

10

Contato

ContatoVi ontem Contato (Robert Zemeckis, 1997), adaptação de um romance do astrônomo e escritor Carl Sagan (1934-1996), um ferrenho crítico da pseudociência. O filme é um sci-fi razoável que aborda o primeiro contato da humanidade com uma civilização extraterrestre e os efeitos que essa expectativa provoca no mundo. Como pano de fundo, há uma interessante discussão sobre ciência versus religiosidade, ceticismo versus fé, e a possibilidade de convergência entre esses pontos de vista. Jodie Foster está excelente no papel da cientista que vasculha o espaço à procura de sinais de vida extraterrestre. O romance dela com um líder religioso (boa pinta e não-celibatário) ficou meio perdido na adaptação e não acrescenta grande coisa à narrativa. Uma frase emblemática pontua a história em várias ocasiões: o universo é tão grande que seria um desperdício se estivéssemos sozinhos.

Bookmark and Share


10

Jan

10

As obras continuam

O novo DVeras em Rede continua em plena mudança, com ajustes on the fly. Esta coluna de posts já está ok, mas as duas da direita ainda estão capengas – o material do blog antigo chega daqui a pouco. Vá entrando, sente num caixote e não repare a bagunça.

Bookmark and Share


05

Jan

10

Em obras

Ainda estamos fazendo os últimos ajustes no design e desencaixotando a mudança pro WordPress. Mais uns dias e DVeras em Rede retorna à ativa. Enquanto isso você pode me acompanhar pelo twitter.

Bookmark and Share


29

Dec

09

DVeras em Rede muda de casa

Amigas leitoras, caríssimos leitores,

Neste final de 2009, despeço-me do domínio blogspot.com e da plataforma Blogger (Google). Foram bons anos de serviços prestados a mim por essas empresas, com qualidade e evolução permanentes, e de graça. Sou muito grato a elas por isso, mas agora é hora de experimentar brinquedos novos. Estou migrando o blog para a plataforma WordPress porque ela me oferece melhores ferramentas pra dar conta dessa deliciosa compulsão blogueira que exercito desde 2001. Aproveitei pra registrar um domínio. A nova URL de DVeras em Rede passa a ser http://dauroveras.com.br  e deve ser ativada em mais algumas horas ou dias.

Comecei a preparar o novo ambiente do blog no começo do ano, em parceria com o designer, programador (e leitor do blog, onde nos conhecemos) Fabrício Boppré. Avançamos aos poucos nas nossas horas vagas, quase sempre a distância – a princípio com ele morando em Paris e agora, de volta à Ilha de SC. Nossa inspiração é a visão estética japonesa conhecida como wabi-sabi – conceito da beleza que é imperfeita, impermanente e incompleta. Suas características são assimetria, aspereza, simplicidade, modéstia, intimidade e a sugestão de processos naturais. Não tenho ideia se vamos chegar nem perto disso, mas a proposta é estar sempre em construção.

Vou me dedicar uns dias à migração, entre outras cositas. A gente se vê em 2010. Abraços, saúde e paz!

p.s.: informes extraordinários, ou ordinários mesmo, pelo twitter.

Bookmark and Share


28

Dec

09

Notícias do quintal: compostagem

Coloquei ontem pra funcionar no quintal a fabriqueta caseira de húmus. É bem fácil de montar. Primeiro, peguei dois baldes plásticos grandes de lixo (R$ 15 cada). Com uma furadeira, fiz vários buracos na parte de baixo e no entorno inferior delas. Aí cavei dois buracos na terra, coloquei cacos de telhas e tijolos no fundo deles – pra facilitar a drenagem – e enterrei os baldes até um palmo antes da boca. Agora é só colocar material orgânico lá dentro (evitando carne e gordura), jogar um pouco de terra ou palha se estiver muito molhado e remexer de vez em quando com um pedaço de madeira, pra oxigenar. Em 60 dias o primeiro balde de húmus está pronto. Um lembrete importante é manter a tampa fechada (com tijolo ou telha em cima) pra evitar odores e não atrair animais. Talvez eu precise montar mais um ou dois desses pra dar conta do serviço aqui em casa, porque a gente gera grande quantidade de casca de frutas. Acho que dá pra reduzir a produção de nosso lixo doméstico entre 40% e 50% – e do que sobrar, a maior parte vai pra reciclagem. A conferir.

Bookmark and Share


21

Dec

09

O universo conhecido


Esta animação do Museu Americano de História Natural mostra uma viagem do planeta Terra até os confins do universo conhecido até o momento pela ciência.
[dica do Fabrício Boppré]

Bookmark and Share