25

Jul

11

Jeremy e o primeiro amor

Assisti Jeremy aos 11 anos de idade. Hoje, aos 45, eu o revejo com o mesmo encantamento daquela madrugada diante da tevê. Dirigido por Arthur Barron em 1973, o filme conta a história de amor entre dois adolescentes, interpretados pelos então estreantes Robby Benson e Glynnis O’Connor. Um enredo banal serve de base para esta pequena joia do cinema. Jeremy é um tímido aprendiz de violoncelo numa escola de artes de Nova York. Quando conhece Susan, a recém-chegada estudante de balé, de lindos olhos tristes, seu mundo se transforma.

O frescor ingênuo, a empatia entre os dois atores – que também namoraram fora da tela – e a câmera 16 mm em estilo quase documental criam uma atmosfera intimista de grande autenticidade. Susan e Jeremy são “adultos-crianças” que descobrem juntos a sexualidade e a arrebatação do primeiro amor. Ao mesmo tempo, não são donos de seus destinos. E logo também descobrem que nada é pra sempre. A música-tema, The hourglass song (de Joseph Brooks, interpretada pelo próprio Robby Benson), é linda de chorar.

Jeremy está longe de ser uma obra-prima, mas recebeu reconhecimentos da crítica – em Cannes foi nominado para a Palma de Ouro e o diretor ganhou o prêmio de melhor primeiro trabalho. Em 1974, Robby Benson concorreu ao Globo de Ouro na categoria estreante mais promissor. Aos espectadores de 2011, os penteados e calças boca-de-sino dos anos 70 provocam ligeiro efeito cômico. Mas não importa. O filme conquista pela maneira honesta como aborda esse rito de passagem. Se você viveu um grande amor na adolescência, vai gostar.

Com informações do IMDB e fotos do blog Obscure One-Sheet.

Bookmark and Share


4 Responses:

  1. Em 09/09/14, 20:24, jaime pedro da silva disse:

    Amei poder ouvir a musica e relembrar essa obra prima de tamanho bom gosto.Eu revivi lembranças que nunca pensei. Obrigado!

  2. Em 29/11/12, 14:41, Ana Maria Brum disse:

    Que delícia reviver tudo isso novamente !
    Perfeito !
    Gostaria muito de assistir novamente a esse filme !
    Gostaria de mostra-lo para minha filha que hoje é adolescente !

  3. Em 04/10/12, 01:46, MANOEL MESSIAS disse:

    Assisti essa inesquecível obra de arte aos meus 14 anos,hoje com 53 anos, recebi esse presentão de ouvir ler a respeito desse filme; graças a informática. Estou muito feliz. Nossa! que maravilha. Eu comecei entender o que é gostar de alguém naquela época ao ver por diversas vezes esse encanto de filme. Ou seja, comecei a aprender a amar. A música de abertura então, nos faz voltar a adolescência. Gostaria de vê-lo completo mesmo que seja nos canais fechados.

  4. Em 29/06/12, 00:14, cristina azevedo disse:

    Assistir este filme e hoje escrevendo aqui(chorando) saudades do tempo que vivi e ao mesmo tempo, lembrei do grande amigo que perdi nesta época(saudades, saudades.Quanta saudade…Agradeço à você por me proporcionar este momento.abraços


Comentar: